Apresentação

Gerar, disseminar e debater informações sobre ALIMENTOS FUNCIONAIS, sob enfoque de Saúde Pública, é o objetivo principal deste Blog produzido no Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde - LabConsS da FF/UFRJ, com participação de alunos da disciplina “Química Bromatológica” e com apoio e monitoramento técnico dos bolsistas e egressos do Grupo PET-Programa de Educação Tutorial da SESu/MEC.

Recomenda-se que as postagens sejam lidas junto com os comentários a elas anexados, pois algumas são produzidas por estudantes em circunstâncias de treinamento e capacitação para atuação em Assuntos Regulatórios, enquanto outras envolvem poderosas influências de marketing, com alegações raramente comprovadas pela Ciencia. Esses equívocos, imprecisões e desvios ficam evidenciados nos comentários em anexo.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Chia e óleo de coco para emagrecer



A produção do programa percorreu as ruas e observou que a população não faz ideia do que se trata a chia. Em reportagem, o Mais Você mostrou que a sementinha é poderosa, ajudando a combater o colesterol, as doenças cardiovasculares, a hipertensão e o diabetes.

Na verdade, a chia emagrece porque o gel que ela forma no estômago dá uma sensação de saciedade e isso diminui a fome. Além disso, a chia tem ômega 3 e combate os processos inflamatórios. Como a gordura é uma inflamação nas células, isso é evitado. Outro ponto que ajuda no emagrecimento é a capacidade que o grão tem de desintoxicar o organismo.

“A chia é a semente da sálvia, então toda semente é muito concentrada em nutrientes, como tem uma boa quantidade de óleo, o bom é que você consuma a semente”, orientou a nutricionista Mônica Dalmácio. “A chia, como a linhaça, por ser uma boa fonte de ômega 3. O ideal é que você coloque as sementes no vidro hermético, bem fechado, com pouco ar e coloque na geladeira ou, pelo menos, um lugar fresco longe da luz solar”, indicou ela.
Outra novidade para quem deseja perder os quilinhos indesejados é o óleo de coco. “Virou febre nos Estados Unidos por causa do seu efeito na queima de gorduras. Em um estudo realizado por lá, ficou constatado que o óleo que é extraído do coco pode dobrar o número de quilos perdidos durante uma dieta”, ressaltou Ana Maria Braga.

“Eles adicionaram óleo de coco à massa do muffin (que é um bolinho) e sobre os pratos de comida das principais refeições dos participantes, que acabaram emagrecendo bem mais do que o esperado pelos próprios pesquisadores. Na barriga, então, o resultado foi incrível:
Sete vezes mais perda de medidas do que em uma dieta comum”, destacou a apresentadora.

Na casa, a apresentadora experimentou o óleo de coco e contou como é o sabor. “Ele não é doce, não é salgado, mas tem o gostinho do coco”, disse ela. Ana ainda informou que o preço destes produtos ainda é bastante alto no Brasil.


Fonte: Mais Você.
Disponível em:http://maisvoce.globo.com/MaisVoce/0,,MUL1677224-10345,00-CHIA+E+OLEO+DE+COCO+CONHECA+OS+ALIADOS+NA+GUERRA+CONTRA+A+BALANCA.html

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Livre de Glúten

video

Na Universidade de Viçosa, em Minas Gerais, dona Maria passou a integrar um projeto que atende às necessidades nutricionais dos portadores da doença. Ela fez uma revolução na alimentação. Ela revela que as dores sumiram.

Sem prevenção, além das dores, a doença celíaca pode causar até câncer de intestino. “Na minha família, várias tias faleceram com câncer de intestino depois dos 70 anos”, conta dona Maria.

Os celíacos representam apenas 1% da população. Mas em torno de 20 milhões de brasileiros não chegam a ser doentes; eles têm apenas sensibilidade ao glúten. Isto é, todo tipo de pães e massas podem causar desconforto no intestino e enxaquecas.

No projeto da Universidade de Viçosa, os pacientes usam um chá de ervas e trocam receitas sem glúten para combater a dor. “Eu tenho até receita de um bolo que ela mesma não tem ainda. Eu vou trazer para ela”, ri dona Maria.


Fonte: Globo Repórter.
Disponível em:http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2011/11/pessoas-sensiveis-gluten-recorrem-projeto-para-mudar-alimentacao.html

O antiinflamatório Chá

Chá simples e natural tem propriedades anti-inflamatórias
A bebida é feita com canela em pau, erva-doce e semente de mostarda. Atletas relataram menos dores musculares depois de exercícios pesados.

video

Na pesquisa com atletas, feita durante três meses, eles relataram menos dores musculares depois de exercícios pesados. Substâncias fenólicas, que são liberadas na água quente do chá, diminuem os processos inflamatórios, reduzindo as dores.

Para a pesquisadora, o estilo de vida mais saudável adotado por dona Nilza foi fundamental para que o chá fizesse efeito. Sozinho, ele não faz milagres.

“Se eu estou sentindo dores de cabeça habitualmente, tem alguma coisa errada no meu organismo. Então o chá não vai resolver, mas habitualmente vai auxiliar e amenizar os sintomas. Enquanto isso, eu tenho por obrigação minha, se eu quero me sentir bem, investigar o porquê da minha dor”, reforça a nutricionista.

O chá deve ser consumido todos os dias. Nos homens, o efeito é mais rápido. Nas mulheres, leva até três meses. Ela recomenda o uso de sachês, feitos de gaze. E diz que uma xícara por dia é o bastante. Em excesso, até pode fazer mal.


Fonte: Globo Repórter.
Disponível em:http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2011/11/cha-simples-e-natural-tem-propriedades-anti-inflamatorias.html

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Frutas funcionais


video

As frutas fazem parte dos alimentos reguladores, aqueles que ajudam na absorção de proteínas, vitaminas, minerais e ferro pelo organismo. O ideal é consumir de duas a quatro frutas por dia, na hora do lanche ou como sobremesa. Algumas frutas são mais indicadas para cada faixa etária.

Na primeira infância, os pais devem priorizar o mamão, a banana e a laranja. “A criança está formando a flora intestinal. Essas frutas são interessantes pelo fato de formar bolo fecal e de auxilia a absorção do ferro, porque anemia é muito comum nessa faixa etária”, explica o nutrólogo da Unicamp Edson Credido.

De dez a 19 anos, a sugestão é consumir mais maçã que, entre outras funções, previne a anemia e a obesidade, morango, que é antiinflamatório, e o açaí, que além de energético atua na musculatura e na coordenação motora.

Dos 20 aos 29 anos, abacate, abacaxi e melancia são ideais. “O abacate tem os ômegas 3, 6, 7 e 9, além dos polifenóis, que auxiliam na regularização do colesterol. O abacaxi é um digestivo por excelência e é interessante para ácido úrico e gota. A melancia apresenta licopeno, que previne câncer de mama na mulher e de próstata no homem”, afirma o nutrólogo.

Dos 30 aos 39 anos, a preferência deve ser dada ao coco, que auxilia na redução do colesterol, ao pêssego, que estimula o funcionamento da insulina, e à uva, que tem efeito anticancerígeno. Dos 40 aos 49 anos, a sugestão é comer mais caju, ameixa e melão. “O caju é diurético, a ameixa ajuda na prevenção de doenças intestinais e o melão, que tem baixo valor calórico e pode ser usado pra quem quer perder peso”, sugere Edson Credido.

Entre 50 e 59 anos, a prioridade deve ser o consumo de manga, que ajuda na desnutrição, de jabuticaba, que ajuda a reter menos líquido no organismo, e da pêra. As frutas verdes têm antioxidantes que eliminam os radicais livres prejudiciais a saúde.

Para quem tem mais de 70 anos, a dica é comer muita goiaba, cereja e uva. O nutrólogo explica: “Goiaba previne problema circulatório, auxilia no intestino e previne o reumatismo. A uva, por conter resiratrol, garante longevidade e a cereja previne problemas urinários”.

Fonte: Jornal Hoje.
Disponível em:http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2011/08/saiba-quais-sao-frutas-indicadas-para-cada-faixa-etaria.html

Leguminosas contra estresse e menopausa

Esses alimentos são ricos em proteínas, ferro e vitamina B.

As leguminosas são grãos que nascem em vagens. Além do feijão, as mais conhecidas são grão-de-bico, lentilha, ervilha e soja. Metade do grão é puro carboidrato. “São carboidratos bons. Quando você come, a leguminosa vai liberando isso aos poucos no organismo, o que ajuda na saciedade”, explica a nutricionista Luciana Drumond.

As leguminosas ainda têm 23% de proteína considerada de boa qualidade. Por isso, combinados com cereais, como o arroz, estes alimentos podem até substituir a carne. O ideal são duas partes de cereais pra uma parte de leguminosa.

A ervilha e a lentilha são tão ricas em ferro que podem ser usadas no lugar do feijão. Todas as leguminosas são fontes também de vitamina B, que auxilia no funcionamento do sistema nervoso, e de fibras, que regulam o intestino e o nível de colesterol e glicose. O grão de bico, além desses nutrientes, tem cálcio, que ajuda na osteoporose e em sintomas de estresse e TPM.

Já a soja é a mais rica em aminoácidos, nutriente necessário para a formação de proteínas fundamentais para a renovação de células e equilíbrio hormonal. “Além disso, a soja tem isoflavonas, excelentes para evitar sintomas da menopausa, como calor e taquicardia e deve ser consumida a vida inteira”, alerta Luciana Drumond.

Uma colher de feijão tem cerca de 80 calorias, de grão-de-bico 70, de lentilha e de soja 40 e de ervilha 15 calorias. Pra conseguir todos os benefícios das leguminosas, o ideal é comer a quantidade certa por dia. “Seis colheres de sopa cheias de grãos ou uma concha média, que cabe a mesma quantidade. Coloque mais grão e menos caldo”, aconselha a nutricionista.

O grão cru tem um composto que impede a absorção de ferro e carboidrato das leguminosas pelo organismo. Por isso, é preciso cozinhar o grão. A ervilha e a lentilha devem ficar de cinco a dez minutos no fogo. Já a soja e o grão-de-bico, que são mais duros, devem ferver por meia hora. Para aumentar a absorção de ferro, a pessoa deve combinar as leguminosas com frutas e sucos ricos em vitamina C.


Fonte: Jornal Hoje.
Disponível em: http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2011/09/leguminosas-ajudam-combater-os-sintomas-do-estresse-e-da-menopausa.html

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Atenção: Alimento funcional!

E alimento funcional, o que é?Os chamados alimentos funcionais são aqueles que têm propriedades que protegem a saúde e têm nomes um tanto diferentes. As promessas são muitas, mas nem todo produto faz bem a todo mundo.

video

A indústria embarcou na onda dos alimentos funcionais. Mas como distinguir o que é apenas propaganda do que realmente faz bem à saúde?

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária é quem avalia e registra os alimentos funcionais. No caso dos produtos industrializados, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária exige que o fabricante apresente provas científicas das propriedades funcionais alegadas na embalagem.
Só depois disso é que a Anvisa aprova o produto para comercialização. De acordo com o último levantamento da agência, o Brasil conta com 94 registros válidos desse tipo de alimento.

Fonte:Bom Dia Brasil.Edição do dia 06/07/2010.
Disponível em:http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2010/07/e-preciso-atencao-antes-de-comprar-alimentos-funcionais.html

domingo, 25 de julho de 2010

Quitosana e Cartilagem de Tubarão