Apresentação

Gerar, disseminar e debater informações sobre ALIMENTOS FUNCIONAIS, sob enfoque de Saúde Pública, é o objetivo principal deste Blog produzido no Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde - LabConsS da FF/UFRJ, com participação de alunos da disciplina “Química Bromatológica” e com apoio e monitoramento técnico dos bolsistas e egressos do Grupo PET-Programa de Educação Tutorial da SESu/MEC.

Recomenda-se que as postagens sejam lidas junto com os comentários a elas anexados, pois algumas são produzidas por estudantes em circunstâncias de treinamento e capacitação para atuação em Assuntos Regulatórios, enquanto outras envolvem poderosas influências de marketing, com alegações raramente comprovadas pela Ciencia. Esses equívocos, imprecisões e desvios ficam evidenciados nos comentários em anexo.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Livre de Glúten



Na Universidade de Viçosa, em Minas Gerais, dona Maria passou a integrar um projeto que atende às necessidades nutricionais dos portadores da doença. Ela fez uma revolução na alimentação. Ela revela que as dores sumiram.

Sem prevenção, além das dores, a doença celíaca pode causar até câncer de intestino. “Na minha família, várias tias faleceram com câncer de intestino depois dos 70 anos”, conta dona Maria.

Os celíacos representam apenas 1% da população. Mas em torno de 20 milhões de brasileiros não chegam a ser doentes; eles têm apenas sensibilidade ao glúten. Isto é, todo tipo de pães e massas podem causar desconforto no intestino e enxaquecas.

No projeto da Universidade de Viçosa, os pacientes usam um chá de ervas e trocam receitas sem glúten para combater a dor. “Eu tenho até receita de um bolo que ela mesma não tem ainda. Eu vou trazer para ela”, ri dona Maria.


Fonte: Globo Repórter.
Disponível em:http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2011/11/pessoas-sensiveis-gluten-recorrem-projeto-para-mudar-alimentacao.html

2 comentários:

Débora Fajardo disse...

Na verdade, ninguém sabe quantos celíacos há no Brasil. Os números que são divulgados são pura especulação, pois o Ministério da Saúde nunca fez uma pesquisa séria sobre isso. Há mais de três anos venho estudando a doença celíaca, sou jornalista e estou finalizando um livro sobre o tema. E o que sei, pelo que tenho observado, é que a cada dia um número maior de pessoas tem sido diagnostica com a sensibilidade ao glúten.

Carolina de Oliveira Soares - 111220591 disse...

As dietas com restrição de glúten vem ganhando força atualmente não só para portadores de doença celíaca. Alguns profissionais defendem que o consumo de glúten está relacionado a um processo inflamatório e à diminuição da utilização dos estoques de gordura corporal. Sendo assim, esse tipo de dieta também vem sendo utilizado por pessoas que não são portadoras da doença mas que buscam emagrecimento.